fbpx

A infecção por Lawsonia intracellularis influencia no odor e qualidade da carne?

Lawsonia intracellularis é a bactéria causadora da enteropatia proliferativa suína, também chamada de ileíte. Os sintomas da doença incluem diarreia, redução no ganho de peso diário e aumento da mortalidade no rebanho, resultando em significativas perdas econômicas na suinocultura mundial. 

Há anos, estudos vêm sendo realizados para compreender os mecanismos de ação da L. intracellularis e cientistas continuam a descobrir novos dados interessantes sobre a bactéria. Durante um estudo realizado para investigar o efeito da imunocastração em suínos de engorda, 

ocorreu um surto de disenteria aguda causado por L. intracellularis e Brachyspira hyodysenteriae. O objetivo do estudo era testar a eficácia da imunocastração, no entanto, outro ponto chamou a atenção dos pesquisadores, que notaram altas concentrações anormais de escatol nos tecidos adiposos não apenas em machos inteiros, mas também em castrados cirúrgicos e imunocastrados. Tanto a androsterona quanto o escatol estão associados ao problema de odor desagradável que afeta a aceitação da carne de porco pelo consumidor.  Os resultados sugerem que o odor de macho inteiro pode surgir em casos de infecções intestinais, mesmo em suínos castrados (Skrlep et al., 2012).

Em suínos naturalmente infectados, Visscher et al. (2018) também mostraram que a infecção subclínica por L. intracellularis teve um impacto na concentração de escatol. As amostras fecais negativas para L. intracellularis possuíam menor concentração de escatol quando comparadas às amostras positivas. O escatol é produzido no intestino a partir do triptofano encontrado em ingredientes alimentares não digeridos e em células intestinais mortas. A infecção por L. intracellularis resulta em danos aos enterócitos, comprometendo a digestão e absorção dos nutrientes. Possivelmente devido à maior quantidade de nutrientes não digeridos, há aumento de triptofano no intestino,  resultando em níveis mais elevados de escatol. 

O odor desagradevel é um grande problema no que diz respeito à aceitação da carne pelos consumidores. A vacinação contra o L. intracellularis, além de ser uma alternativa para reduzir os danos causados pela bactéria no desempenho dos suínos, pode ainda contribuir para melhorar a qualidade da carne e a sua aceitação pelos consumidores. 

Referências 

Skrlep, M., Batorek, N., Bonneau, M., Fazarinc, G., Segula, B., & Candek-Potokar, M. (2012). Elevated fat skatole levels in immunocastrated, surgically castrated and entire male pigs with acute dysentery. The Veterinary Journal, 194(3), 417-419.

Visscher, C., Kruse, A., Sander, S., Keller, C., Mischok, J., Tabeling, R., … & Kamphues, J. (2018). Dietary approaches reducing boar taint—Importance of Lawsonia intracellularis colonisation for interpreting results. Journal of animal physiology and animal nutrition, 102, 3-15.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *