fbpx

Qual o real impacto da anemia ferropriva no desenvolvimento dos leitões?

A anemia ferropriva é responsável por grandes impactos negativos produtivos. Estudos descrevem valores superiores a 15% de leitões desmamados e anêmicos (Perri et al., 2015). E se considerarmos os quadros sub-anêmicos, esses índices de anemia são ainda mais preocupantes, com valores próximos a 50% dos leitões acometidos (Perri et al., 2015; Sperling et al., 2018).

A rápida taxa de crescimento dos leitões no início da vida determina um grande aporte de ferro. Os leitões aumentam sua massa corporal de maneira muito significativa nas primeiras semanas de vida (Kim et al., 2018). Essa impressionante taxa de crescimento é acompanhada pela expansão do volume sanguíneo, o que demanda uma alta atividade eritropoiética, resultando em um aumento expressivo do número de hemácias, que passam a requerer grande quantidade de ferro para manter os níveis adequados de hemoglobina (Szudzik et al., 2018). Leitões mais pesados, devido ao seu rápido crescimento inicial, utilizam suas reservas férricas de maneira mais rápida, resultando em menores níveis séricos de ferro e menores níveis de saturação de transferrina, tornando-se mais susceptíveis à anemia (Bhattarai et al., 2015; Perri et al., 2015). 

A anemia ferropriva traz grandes prejuízos à cadeia produtiva. Leitões anêmicos ao desmame são 820 g mais leves do que leitões com valores normais de hemoglobina (Perri et al., 2015). Além disso,  leitões com 10 g/L de hemoglobina a mais ao desmame, ganham 17,2 g a mais de peso por dia, durante toda a fase de creche (Bhattarai; Nielsen, 2015). Além do mais, animais anêmicos possuem prejuízos da sua função imune (Svoboda et al., 2004).

Dessa forma, devido aos impactos no desenvolvimento produtivo dos animais e com o objetivo de alcançar o máximo potencial de crescimento dos leitões na granja, a suplementação de ferro é essencial. O gleptoferron, com capacidade de absorção de 95% em 24 horas, apresenta maior biodisponibilidade quando comparado ao ferro dextrano. (Moralés et al., 2018). Dessa forma, resulta em níveis mais elevados de hemoglobina, hematócrito, ferro e ferritina (Sperling et al., 2018), controlando de maneira mais eficaz a anemia por deficiência de ferro em leitões lactentes (Calveyra et al., 2022) 

Portanto, escolher a fonte de ferro exógena com maiores benefícios para os animais é fundamental para alcançar o máximo desempenho dos leitões e combater a anemia ferropriva. 

REFERÊNCIAS

Bhattarai, S., & Nielsen J.P. (2015). Association between haematological status at weaning and weight gain post-weaning in piglets. Livestock Science, 182, 64-68.

Calveyra, J., et al (2022). Comparative field tirals on the incidence of anemia and coccidiosis using a combination of Toltrazuril and Gleptoferron in Brazilian farms. ESPHM.

Kim, J.C., Wilcock, P., & Bedford, M.R. (2018). Iron status of piglets and impact of phytase superdosing on iron physiology: A review. Anim. Feed Sci. Technol, 235, 8–14.

Morales, J., Manso, A., Martín-Jiménez, T., Hamadi, K., & Sperling, D. (2018). Comparison of the pharmacokinetics and efficacy of two different iron supplementation products in suckling piglets. J Swine Health Prod. 26(4), 200-207.

Perri, A.M., Friendship, R.M., Harding, J.S.C., & O’Sullivan, T. (2015). An investigation of iron deficiency and anemia in piglets and the effect of iron status at weaning on post-weaning performance. J Swine Health Prod. 24(1), 10–20.

Sperling, D., Freudenschuss, B., Shrestha, A., Hinney, B., Karembe, H., & Joachim, A. (2018). Comparative efficacy of two parenteral iron-containing preparations, iron gleptoferron and iron dextran, for the prevention of anaemia in suckling piglets. Veterinary record open, 5(1), e000317.

Svoboda, M., Drabek, J., Krejci, J., Rehakova, Z., & Faldyna, M. (2004). Impairment of the peripheral lymphoid compartment in iron-deficient piglets. J Vet Med B Infect Dis Vet Public Health. 51(5), 231-237.

Szudzik, M., Starzyński, R.R., Jończy, A., Mazgaj, R., Lenartowicz, M., & Lipiński, P. (2018). Iron Supplementation in Suckling Piglets: An Ostensibly Easy Therapy of Neonatal Iron Deficiency Anemia. Pharmaceuticals (Basel).11(4), 128.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.